sábado, 15 de setembro de 2018

LIX - Tânatos ou Hipnos? - Ethos de uma Alma Invertida

Resultado de imagem para tânatos e hipnos


Amarrei minhas asas
Para que não pudesse voar;
Costurei minha boca para
Que não pudesse falar;
Fechei os olhos para não ver;
Tapei os ouvidos para não ouvir.

Imerso em mim mesmo,
Descobri as sombras sempre
Presentes nas almas humanas...
A mão do Diabo na obra de Deus.

Deveria ter atirado-me nas
Chamas dançantes de uma pira,
Mas o amor pela minha sombra
E o medo do renascimento me
Impediram de realizar tal proeza.

Ainda estou amarrado como
Estava antes...talvez até
Em um sono profundo,
Mas um döppel estranhamente
Positivo parece ser meu álibi.

Talvez eu já esteja morto...


* Imagem retirada de https://pt.wikipedia.org/wiki/Hipnos *

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

LVIII - Melancolia II - Ethos de uma Alma Invertida

Whispering of the melancholy I by andrekosslick






Tão bela quanto a flor
Que desabrocha esplendorosa,
É vê-la definhar lentamente
Ao pôr-do-Sol alaranjado.


E assim, talvez, seja a vida:
Uma beleza que se esvai
Pouco a pouco, como uma
Flor esplendorosa que murcha
Dia após dia, noite após noite.

Se há algum elixir que
Perpetue o esplendor, eu
Não o almejo em tempo algum.
Prefiro assistir, melancolicamente,
A beleza e o esplendor esvanecendo
E decompondo-se até que nada reste.

Que os anjos caiam magnifcamente
Dos céus e que se inicie outra guerra
Celestial, mas não moverei um músculo
Até que todo este mundo morra!


* Imagem retirada de https://www.deviantart.com/andrekosslick/art/Whispering-of-the-melancholy-I-130888751 *

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

LVII - Memento Mori - Ethos de uma Alma Invertida

Resultado de imagem para memento mori imagens

Eu aceito seu manto
Negro e beijo sua face
Em ossos amarelados.

Nada mais aqui me
Conforta ou me apraz...
Nem mesmo outros corpos.

Ah! Eu derramo gotas
Rubras sobre este Jardim
Selvagem e irrigo suas
Flores viçosas e coloridas.

E o vento, letárgico,
Que balança preguiçosamente
A relva esmeralda,
É o perfume, o alento,
O torpor que me leva a Deus.

Eu, vestido com a pompa e
Luxo, almejo seu manto
Negro e maltrapilho.
Eu, de boca rubra e quente,
Beijo a sua boca sem lábios
E almejo o frio de seu corpo

* Imagem retirada de https://wallpaper.mob.com.de/image/artfoto-natyurmort-obekty-skelety-smert-22746.html *

quarta-feira, 12 de setembro de 2018

LVI - Angélique II - Ethos de uma Alma Invertida


Maldito seja o Deus, que
Esculpiu o homem em barro
E os anjos em porcelana e
Atirou-os na Terra!

Que atroz este Deus que
Permite ao reles mortal
Afogar-se na beleza dos Anjos
E atentar contra a sua pureza

Ao inferno com a Lei
Mosaica e com a Torá!
Se há anjos na terra,
Que eu os consuma até
Que deles reste só o pó...

Que eu os idolatre
E adore, fitando-os
Até que meus olhos,
Ressequidos, cerrem eternamente.

Ao inferno com a
Misericórdia divina,
Pois perdão e condecendência
Maiores vem dos doces
Olhos e lábios dos anjos.

E sob sua doçura eu
Me dobro, beijando-lhe
Os pés e jurando amor
Desmedido e incontido.

Ao anjo, que levo em
Modesto Andor,
Atiro-me ao inferno,
Por corromper-te,
Sem temor.

Ao fogo do inferno:
- o qual consumir-me-à-
Que derreta a minha carne
Pois a minha alma já
Se consumiu quando
Ansiei por Anjos!

*  Imagem http://crepusclo.deviantart.com/art/Androgynous-Angel-303976184 *

quinta-feira, 16 de agosto de 2018

LV - Arraste-me para o Inferno - Ethos de uma Alma Invertida



Não sabes que não se
Olha diretamente ao demônio,
Criatura de olhos brilhantes?

Não sabes que o demônio
Tem poderes de tomar as
Almas dos desavisados,
Criatura de rosto emoldurado?

Não sabes que o demônio
É atiçado pela retidão e
Que ama a ousadia velada,
Criatura de sorriso discreto?

Não sabes que agora o
Demônio irá te perseguir
E tomar-lhe para si,
Criatura sob o Véu?

Não sabes que o demônio
Alisara seu corpo magro,
Até que sua alma se erga,
Criatura de Beleza Desmedida?

Não sabes que ao olhar
Diretamente para o demônio
E sorrir-lhe discretamente,
Selou um contrato para
Que ele lhe possua?


* Imagem retirada de https://www.deviantart.com/z-pico/art/Lucifer-updated-470493821 *

LIV - Bela Donzela e a Sensibilidade - Ethos de uma Alma Invertida



Sua sensibilidade,
Bela Donzela, me comove...
Mentira minha! Ironia, deboche...

Entendo sua dor.
Sei que encontra-se
Em desfavor e à
Despeito de todo
O seu dissabor,
Digo-lhe que não há
Luta em que não haja dor.

Deveria caçoar da
Discrepância entre o
Seu rosto e o que há
Entre suas coxas?
Não... mas poderia fazê-lo.

Pois o humor é engraçado
Quando disparado para todo
O lado, menos quando por
Ele tu és tragado.

Aprenda a rir-se de si,
Bela Donzela, pois assim
O escárnio alheio perde a graça.
Ria de si mesmo, antes
Que outrem o faça!


* Imagem retirada de https://br.pinterest.com/pin/522839837975325884/ *

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

LIII - Adieu - Ethos de uma Alma Invertida



Com as mãos sujas
Eu olho seu retrato...
A única beleza em
Meu quarto mal-decorado.

Os seus olhos parecem
Reluzir em azul, mesmo
Nesta foto em preto e branco
Que o tempo apaga lentamente.

As cordas que nos ataram
Por tão poucas horas,
São as mesmas que
Decoram meu pescoço.

Essas mãos, tingidas de
Branco viscoso, lhe prestam
A última homenagem...
A este corpo cianótico de
Meios rosados como flor.

Pétalas singelas que eu
Esmaguei, anel precioso
Que eu afoitamente quebrei.
Quebrei também a mim mesmo
E a minha vida que se vai à jato...
Em um jato...

Adieu!

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

LII - A Possessão de Maria - Ethos de uma Alma Invertida

To Devil by lamringo



O demônio que possuiu
Teu corpo não ansiava
Tua imaculada alma viva.

O demônio que sussurrou
Ofidicamente em teus ouvidos,
Em lugar da habitual blasfêmia,
Dizia-lhe versos de amor na
Antiga língua dos anjos.

O demônio que deitou
Sobre teu corpo de seios pequenos,
Pernas bem feitas e monte lis,
Abriu mão do seu céu de
Inocência e pureza para
Devorar a mortalidade humana.

O demônio, que doeu-se
Pelo seu apetite infernal,
Deixou uma rosa negra
Sobre o monte desnudo
E em sigilos antigos escreveu:

"Bebi do Vinho de Aluqah
  E o Yod penetrou a terra.
  Desta profana união,
  Brotará uma legião.

  Ao destino desta alma
  Maculada, à quem eu
  Entreguei a Serpente Inflamada,
  Deixo esta rosa oscura,
  Cuja beleza taciturna
  É vistosa somente aos
  Olhos inumanos.

  Deixo-te esta rosa negra
  Beleza única como tu,
  Para que pereça junto
  À tua carne e para que
  De mim nunca te esqueças."



* Imagem http://lamringo.deviantart.com/art/To-Devil-697948898 *

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

LI - Angélique - Ethos de uma Alma Invertida



E o que seria dos homens
Sem o calor dos Anjos do Senhor,
Com seus corpos perfeitamente
Desenhados e incompreensíveis?

Talvez o vislumbre dos anjos,
Em seus corpos etéreos e humanóides
Tenha sido a causa da corrupção
Da alma através da carne fraca.

Quem sabe O Alfa e o Ômega,
Onisciente, tenha lançado
Anjos aos olhos humanos
Para que estes ardessem
Ante a glória do que é
Infinitamente divino?

Provavelmente O Bode,
Subversivo e inconformado com
Os planos celestes, mostrou-se
Como o Anjo Mais Radiante e,
Trajado de esplendor divino, convenceu
Os homens de que seu destino
Era delicioso... porém sofrível.


*  Imagem http://crepusclo.deviantart.com/art/Androgynous-Angel-303976184 *

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

L - Os Poetas - Ethos de uma Alma Invertida




Um café, um cigarro
Um gole, um trago
Uma vida, uma morte

Assim segue a vida do
Suposto poeta que à
Sinceridade e à Mentira mestra.
O Suposto Poeta sofre de
Sincericídio acidental, pois
Faz brotar a Lótus no lamaçal.

Não pense que o Verdadeiro Poeta
É diferente do Suposto Poeta!
Ambos são iguais em quase tudo,
Porém o suposto poeta é mudo e,
Como um bruxo, fala através de
Seu grimório poético.

O Verdadeiro Poeta, por sua vez,
É um jardineiro que planta
Belas flores em seu Jardim Semântico,
Organizado em espectro de cores e notas musicais.

O Suposto Poeta é oculto e proscrito.
O Verdadeiro Poeta é festejado, é visto.


* Imagem http://www.elfikurten.com.br/2016/05/charles-baudelaire.html *